sexta-feira, 10 de outubro de 2008

EDUCAÇÃO E DESABAFO



Como você define a educação?


No Wikipédia, Educação engloba ensinar e aprender. É um fenômeno visto em qualquer sociedade, responsável pela sua manutenção e perpetuação a partir da passagem, às gerações que se seguem, dos meios culturais necessários à convivência de um membro na sua sociedade. Nos mais variados espaços de convívio social ela está presente. Nesse sentido, educação coincide com os conceitos de socialização e endoculturação. A prática educativa formal - observada em instituições específicas - se dá de forma intencional e com objetivos determinados, como no caso das escolas.


E tem também aquela "Educação" que recebemos dentro de casa, dos nosssos pais e familiares. Noções do certo e errado, do bom e do mal, dos caminhos corretos a seguir, respeito ao próximo, etc... Essas coisas todas que eu tive, que você teve enfim.


Mas a pergunta é, como uma pessoa que se julga muito bem educada, culta e de vasta experiência nos seus 20 e poucos anos, pode saber se tem educação, e ainda julgar a capacidade de outra em educar um ser que está por vir?


Como uma pessoa que se intitula bem educada "desde o berço" e que passou o pouco tempo de sua vida, mentindo, USANDO, invejando, enganando o companheiro, se drogando, bebendo, destruíndo patrimônio público, causando constrangimento para a familia, achando que o Raul tem mais poder que Deus, devendo, usurpando, swingando por aí - e pode ter certeza muito mais coisas que não vem ao caso - pode mesmo "achar" que outra pessoa não tem competência ou capacidade de educar uma criança?


É bem difícil definir de um ser humano pro outro o que é certo e errado. Por que eu sou São Paulina e você Corinthiano??? Tem coisas que não dá pra explicar até mesmo por que não tem explicação. E justamente por não ter explicação, é que devemos nos remeter a nossa insignificância e passar a olhar mais pro nosso rabo do que pro rabo dos outros.


Eu poderia ter vivido uma adolescência e uma fase "adulta" tão sem fundamento como essa pessoa viveu, se eu tivesse jogado fora toda a minha base, a educação familiar que eu recebi. Mas não! Eu fui uma criança feliz, que teve tudo e que também soube compartilhar o que tinha com os outros. E não cresci frustrada por que minha boneca era menor que a da vizinha, ou pior a vizinha tinha boneca e eu não. Entende???


Eu cresci numa casa de verdade, com pai e mãe lutando por mim e pelo meu irmão. Trabalhando, para o nosso crescimento moral antes de mais nada. Um pai que morreu trabalhando até onde suas forças não o abandonaram e não um que morre todos os dias sentado na frente do sofá.


Eu nunca passei vontade por não ter alguma coisa, por que aprendi que não posso ter tudo que quero e nem devo invejar quem tem, quem conquistou. Seja um bom emprego, uma roupa nova, etc... Sabendo dessas coisas, não cresci frustrada, amargurada, invejando as conquistas alheias. E isso tem muito a ver com a minha personalidade, com meu caráter.


Eu não precisei experimentar drogas pra saber que não era bom pra mim e nem preciso delas pra ficar feliz! Eu gosto de rock e de sertanejo também e daí? E me divirto onde quer que esteja sem ter que beber até cair.


Enfim... Não quero que se preocupem comigo, por que eu sou bem grandinha e sei bem me cuidar. Hoje quem manda na minha casa sou eu. Quem assumiu o papel do meu pai, fui eu. E isso não é pouca coisa. É muitaaaaaaaaaaaaaaaaaa coisa. Tenho um bom emprego e um salário por que eu corri atrás, e não correram por mim. Construí uma outra casa onde em breve vou morar com meu namorado/futuro marido por que lutei por isso, trabalhei pra que isso fosse possível, enquanto essa "pessoa" estava lá fazendo tudo aquilo que descrevi acima e com dores no cotovelo por que eu me dei bem.


Álias quando me afastei dessa pessoa, eu parei de perder, e voltei a ganhar. Pra ser bem franca, na nossa "curta" convivência eu só me f... mas num belo dia tudo mudou e mesmo com o rompimento que foi bem difícil pra mim, eu saí vencedora.


É isso, com toda franqueza que Deus me deu, agradeço pelos 'votos', mas não posso aceitá-lo. Guarde pra você tudo aquilo que você deseja para mim. Eu podia me fazer de cega, mas sempre soube ler nas entrelinhas, e seu tempo de me enganar com seu sorriso falso já passou e não volta mais.

3 comentários:

Carolina disse...

Não sei bem de quem vc está falando, mas o melhor mesmo é que essas "pessoas" permaneçam na sua insignificância e de preferência a kilometros de distância!

Tô aqui tá!!

Beijos linda.

Cris Orvalho disse...

Qual é a pessoa para tanto ódio???????

Anna Sawka disse...

Não se trata de ódio, e sim de pena. Tenho pena dessas pessoas que se "acham" politizadas, moderninhas e vez ou outra educada.
É isso... P.E.N.A.
BJKS!!